Fogo

Fogo é um processo químico de transformação e dependendo das substâncias presentes no combustível e no ar, as cores da chama e a intensidade podem variar. O fogo foi a maior conquista do ser humano na pré-história, sendo controlado, foi usado para preparar alimentos, para aquecer e para manter predadores afastados… a claridade que não vinha do Sol e da Lua. Na mitologia grega o fogo simboliza também a vida, a cidade, a proteção e o sacrifício. Daí o fogo virou fogueira, virou festa, virou roda de amigos. Que o fogo ilumine e aqueça bons caminhos.

Cajuí

O Cajuí (Anacardium humile), também conhecido como cajuzinho-do-cerrado e cajuzinho-do-campo é uma espécie nativa do cerrado brasileiro, pequena e pertence à mesma família do caju, ocorrendo em vários locais do Brasil. Uma curiosidade é que não é uma fruta, mas um pseudofruto, já que na verdade o fruto é a estrutura que costumamos chamar de castanha… a parte comestível colorida e suculenta são formadas por diferentes partes de uma ou mais flores.

Urubu-rei

Urubu-rei (Sarcoramphus papa), também conhecido como urubu-real, urubutinga, corvo-branco, entre outros. Vive aproximadamente 30 anos e é encontrado em toda América Latina até o México. É o mais colorido entre as cinco espécies de urubus que vivem no Brasil e possui poucos predadores naturais, mas, devido à baixa reprodutividade é uma espécie cada vez mais rara de se observar.

Serra da Cantareira

Contraste entre a “selva de pedra” e a Serra da Cantareira que fica no Estado de São Paulo e abrange os municípios de São Paulo, Guarulhos, Mairiporã e Caieiras. Possui 64.800 hectares e no passado já foi rota dos tropeiros que armazenavam a água em jarros conhecidos como cântaros e que ficavam guardados em prateleiras chamadas de “cantareira”, origem do nome da serra. Em 1986 a região virou o Parque Estadual da Cantareira e hoje é parte integrante da Reserva da Biosfera da Mata Atlântica, reconhecida pela UNESCO.

O rabo-branco-acanelado

 O rabo-branco-acanelado (Phaethornis pretrei) é uma das maiores espécies de beija-flores brasileira, medindo cerca de 15 centímetros. Conhecido como limpa-casa, beija-flor-de-rabo-branco e rabo-branco-de-sobre-amarelo, pode ser encontrado no Brasil, Argentina, Bolívia e Paraguai. Sua alimentação é de carboidratos, principalmente do néctar das flores, mas também come pequenos insetos. Uma das suas marcas é conhecida na época do acasalamento, que vai de agosto a novembro. Para chamar a atenção das fêmeas o macho abre o bico e exibe a boca, a língua e a mandíbula, partes que têm um colorido vivo que chama a atenção, além de exibir a cauda aberta que forma um grande e bonito leque.

Céu de inverno em SP

Tarde de inverno em São Paulo, com céu colorido e temperatura oscilando entre 3°C e 25°C. A Terra da Garoa vai ficando para trás e cada vez mais São Paulo estabelece um novo padrão, principalmente pelas mudanças climáticas e pelo aumento do desconforto térmico. O Inverno, que vem latim hibernum, significa neutro, invernal, invernoso, tempo frio, trás com ele não só a queda de temperatura, mas lindas cores no céu. Detalhe de foto tirada no bairro do Itaim Bibi, sem filtro, por volta das 18h.

Socozinho

Socozinho (Butorides striata), também conhecido como Socó Estudante, Socoí, Socó Mijão e Socó Tripa. Mede de 35 a 45 cm de comprimento e está presente em todos os estados brasileiros, assim como nas Américas, África, sul e sudeste da Ásia, Oceania e norte e leste da Austrália. Se alimenta principalmente de peixes, insetos aquáticos, crustáceos, moluscos, anfíbios e répteis. Uma curiosidade é que adota algumas táticas de caça, como usar iscas para atrair peixes (pedaços de pão dados por visitantes em parques ou pequenos insetos) ou se manter próximos a outros animais a fim de capturar os peixes espantados por estes enquanto caçam.

Pitanga Preta

A pitanga preta (Eugenia sulcata) também conhecida como Pitanguinha preta, Pitanguí e Pitanga-una é uma fruta nativa da Mata Atlântica, encontrada desde o estado do Espírito Santo até Santa Catarina e geralmente dá frutos entre os meses de setembro a novembro. Não é tão comum como a pitanga tradicional, mas é muito doce e comunidades tradicionais também fazem uso medicinal das folhas, principalmente no tratamento de febres e diarréia, especialmente em crianças.

Lua de Inverno

O Solstício de inverno é um fenômeno astronômico que marca o início do inverno. Neste ano ocorreu no dia 21 de junho e no dia de hoje (24/06) culminou com a Lua Cheia, deixando o céu mais limpo e propiciando uma visibilidade de aproximadamente 99,97%. Hoje também é dia de São João, profeta que anunciou Jesus Cristo como o Cordeiro de Deus.