Borboleta Parides Agavus

Parides agavus é uma espécie de borboleta encontrada no Brasil, Paraguai e norte da Argentina. Prefere viver em áreas de vegetação densa, com pouca luz e se alimentam de plantas que contêm ácidos aristolóquicos, tóxicos para alguns mamíferos e servindo de proteção contra predadores. Na Mitologia grega, Agave foi uma Nereida (ninfas marinhas), umas das cinquenta filhas de Nereu e de Dóris. Já na Astrologia, Nereida é o segundo satélite telescópico de Netuno.

Seriema

Detalhe da cabeça da Seriema (Cariama cristata) com uma crista na testa. Ave típica do cerrado do Brasil e que pode alcançar entre 70 e 90 cm de altura. Possui uma característica muito interessante: deixa para voar somente se muito pressionada ou acuada, preferindo correr. Sua velocidade na corrida também é bem famosa, pois pode passar dos 50 km/h. A palavra seriema é de origem tupi, correspondente a çariama, derivando das palavras çaria (crista) e am (erguida).

Jacu

O jacuguaçu, jacuaçu ou jacu (Penelope obscura) é uma ave que mede aproximadamente 73 centímetros e é famosa pelo título de “produzir” um dos cafés mais caros do mundo. Possui um canto bem peculiar, com uma mistura de grasnidos e cacarejos interrompidos, mal parecendo com o canto de uma ave. Seu papel é fundamental na natureza, pois atua como grande dispersor de sementes para várias espécies de árvores e palmeiras.

Cisne-negro

O Cisne-negro ou Cisne-preto (Cygnus atratus) é uma ave aquática originária da Austrália e pertence à mesma família dos gansos, patos e outros cisnes. Um adulto pode pesar até 9 kg e como principal característica não possui hábitos migratórios, ao contrário de muitas outras aves aquáticas, passando a vida no local onde nasceram. Existe até a Teoria do Cisne Preto que é um conceito criado pelo filósofo Nassim Taleb e que se refere a um evento adverso e que vai contra aquilo que é considerado seguro ou normal: atentados terroristas em grande escala como o de 11 de setembro ou a ascensão do Google, são exemplos de cisnes negros que são praticamente impossíveis de serem previstos. Na Inglaterra do Século XVII, acreditava-se que todos os cisnes eram brancos, pois nunca ninguém havia visto um cisne preto, mas no Século XVIII foi avistado o primeiro dessa cor na Austrália.

Gralha-azul

A gralha-azul (Cyanocorax caeruleus) é uma ave com aproximadamente 40 cm de comprimento e é o principal animal disseminador da araucária já que enterram os pinhões no solo para comer depois. A área de distribuição vai desde o estado do Rio de Janeiro até o Rio Grande do Sul e em 1984 foi consagrada como ave-símbolo do estado do Paraná. Como curiosidade, vale saber que as gralhas azuis são aves muito inteligentes e sua comunicação é bastante complexa constando pelo menos de 14 termos vocais (gritos) bem distintos e marcantes.

Tiê-sangue

Tiê-sangue (Ramphocelus bresilius) também conhecido como sangue-de-boi, canário-baeta e tiê-fogo é a ave símbolo da Mata Atlântica. Reconhecido pela beleza da plumagem vermelha, característica única dos machos, adquirida após o segundo ano de vida. Pesa cerca de 30 gramas e mede 19 centímetros de comprimento e só é encontrando no Brasil. Na foto um macho se preparando para abocanhar o gafanhoto.

Cajuí

O Cajuí (Anacardium humile), também conhecido como cajuzinho-do-cerrado e cajuzinho-do-campo é uma espécie nativa do cerrado brasileiro, pequena e pertence à mesma família do caju, ocorrendo em vários locais do Brasil. Uma curiosidade é que não é uma fruta, mas um pseudofruto, já que na verdade o fruto é a estrutura que costumamos chamar de castanha… a parte comestível colorida e suculenta são formadas por diferentes partes de uma ou mais flores.

Urubu-rei

Urubu-rei (Sarcoramphus papa), também conhecido como urubu-real, urubutinga, corvo-branco, entre outros. Vive aproximadamente 30 anos e é encontrado em toda América Latina até o México. É o mais colorido entre as cinco espécies de urubus que vivem no Brasil e possui poucos predadores naturais, mas, devido à baixa reprodutividade é uma espécie cada vez mais rara de se observar.

O rabo-branco-acanelado

 O rabo-branco-acanelado (Phaethornis pretrei) é uma das maiores espécies de beija-flores brasileira, medindo cerca de 15 centímetros. Conhecido como limpa-casa, beija-flor-de-rabo-branco e rabo-branco-de-sobre-amarelo, pode ser encontrado no Brasil, Argentina, Bolívia e Paraguai. Sua alimentação é de carboidratos, principalmente do néctar das flores, mas também come pequenos insetos. Uma das suas marcas é conhecida na época do acasalamento, que vai de agosto a novembro. Para chamar a atenção das fêmeas o macho abre o bico e exibe a boca, a língua e a mandíbula, partes que têm um colorido vivo que chama a atenção, além de exibir a cauda aberta que forma um grande e bonito leque.